Personal Learning Environments

BIBLIOGRAFIA ANOTADA

 

AMBIENTE PESSOAL DE APRENDIZAGEM (PLE) COMO RECURSO DE APRENDIZAGEM PARA O PROFESSOR

Siony da Silva

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo – IFSP –SP– Brasil

O artigo teve como objetivo refletir sobre o Ambiente Pessoal de Aprendizagem como recurso de aprendizagem para o professor.

Ideias principais

O avanço dos recursos tecnológicos, aliado às facilidades de acesso a informação e aos meios de comunicação, estão promovendo mudanças na forma de ensinar e aprender. Graças ás ferramentas disponibilizadas na web, a internet passou de um ambiente somente de leitura, para um ambiente em que o usuário participa ativamente tornando-se leitor e autor de conteúdos. Dessa forma, o usuário, busca informações, interage com amigos, profissionais, especialistas e cria um ambiente pessoal de aprendizagem. Passa a ser o condutor de seu processo de aprendizagem.

 Isto implica em elaborar a estrutura para acessar as informações, participar de grupos sociais com profissionais e especialistas; debater assuntos do interesse desse grupo; cooperar; aprender e ensinar, ou seja, criar uma rede pessoal de aprendizagem. As ferramentas da Web 2.0 são os recursos utilizados para o acesso a informação e o contato com as pessoas.  Os PLEs possibilitam o crescimento educacional, pessoal e profissional e podem ser desenvolvidos por qualquer pessoa que tenha interesse em aprender. Cada pessoa elabora o seu próprio PLE e define o caminho a ser percorrido.  Este aprendizado contínuo, potencializa o contato com novas tecnologias, novos conhecimentos e aumenta a socialização.  O emprego dos PLEs pelos professores proporciona atualização contínua na área deformação, potencializa o acompanhamento de novas tecnologias e abordagens metodológicas e estimula a participação em ambiente de colaboração e reflexão. Estes aprendizados passam a ser incorporados nas atividades didáticas, e dessa forma, os alunos também começam a incorporar as ferramentas tecnológicas e seus mecanismos de comunicação e interação em suas atividades pessoais.  Para que as pessoas possam elaborar seus PLEs, é necessário que possuam competências digitais. Isto inclui: conhecer e saber utilizar os recursos de comunicação e informação; saber pesquisar, avaliar a informação, refletir sobre o conteúdo dos dados levantados; gerar informações que serão disponibilizadas através de diversas mídias (texto, imagem, som); participar de rede social com profissionais e ou especialista e ter disposição de aprender ao longo da vida.       Através dos ambientes pessoais de aprendizagem, as pessoas se tornam mais independentes,           autônomas e com maior capacidade de responder ás rápidas mudanças que estão ocorrendo na vida atual.

In: http://www.revistageintec.net/portal/index.php/revista/article/view/27/88 –  acedido em 24.04.2014

               

AMBIENTES PESSOAIS DE APRENDIZAGEM – CONCEPÇÕES E PRÁTICAS

Pedro de Jesus Borges Rodrigues

Esta é uma dissertação de Mestrado em Educação da Universidade de Lisboa onde foi realizado um estudo exploratório, em torno da utilização destes ambientes de aprendizagem.

Ideias principais

 O conceito de ambiente pessoal de aprendizagem, comumente designado pela sigla “PLE”                    (Personal Learning Environment), depreende estratégias pedagógicas pouco exploradas no panorama educacional. Ao mesmo tempo em que promove competências como a autonomia e a organização individual dos aprendizes exigem novas competências nos programas do ensino. A complexidade decorrente da integração destas competências em contextos de aprendizagem formais é enfatizada nos resultados apurados que revelam que as mudanças consubstanciadas na adoção dos PLE carecem de novas atitudes por parte dos vários intervenientes do sistema de ensino.

 Ao longo de toda a investigação ficou patente um lado eclético do PLE, quer por ser organizado por concepções e prática divergente quer pela inexistência de uma definição consensual. Para alguns especialistas, o PLE é apenas uma abordagem baseado num interface Web e nem sequer pode ser considerado um software, é apenas um ambiente onde as pessoas, comunidades e recursos interagem de forma muito flexível. Por outro lado, outros especialistas consideram que o PLE pode ser representado com tecnologia, incluindo aplicações e serviços.  PLE é um conjunto de ferramentas interligadas pelo conceito de abertura, interoperabilidade e controlo do aprendiz. Um PLE proporciona ao aprendiz um espaço pessoal sob seu controlo que possibilita o desenvolvimento e partilha das suas opiniões. É a forma simples de partilhar e agregar as experiências de aprendizagem através da configuração e manipulação de artefatos digitais. Baseado em múltiplos contextos e na promoção da autonomia do aluno os PLE são o elo entre as instituições de ensino e o mundo exterior e são compostos por várias ferramentas usadas no nosso quotidiano para a aprendizagem. Muitas dessas ferramentas são baseadas no software social.

In: repositorio.ul.pt/bitstream/10451/7686/1/ulfpie042963_tm.pdf – acedido em 22.04.2014

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: