Resenha dos vídeos de Michael Welsch

Michael Welsch

 

O professor Michael Welsch, da Universidade de Kansas (EUA), vem fazendo estudo, sobre a relação dos indivíduos com o You Tube. É ele o responsável pelo grupo Digital Ethnography.

Michael Welsch demonstra muito bem, em seu trabalho de investigação, como a sociedade em rede, surgida com o advento da Internet, está mudando o ensino-aprendizagem atualmente. Michael Welsch, como educador, é um agente deflagrador dessa mudança, ao considerar ser mais importante ajudar os estudantes a construírem questões do que querer continuar o papel tradicional do professor.

Por isso, temos aqui um pioneiro que promove a mudança de um paradigma educativo. Como para ele o educador não pode ser a autoridade que entra na sala para transmitir informação e sim ser aquele que precisa conhecer os anseios dos alunos para preparar as aulas. Michael Welsch age desta mesma forma fazendo com que a construção dos novos conhecimentos seja feita com os alunos.

Dos quatro vídeos apresentados podemos tirar as seguintes informações.

  1. 1.      The Machine is Us/ing Us

 

Este vídeo mostra-nos a evolução da Web desde os primórdios do html até à situação atual, onde o hipertexto não é apenas a criação de uma ligação entre textos. Ele revela as vantagens do texto digital por oposição ao texto de suporte de papel, onde todos podem proceder à construção de conhecimentos mais específicos e enriquecedores, passando de meros utilizadores a dinâmicos produtores. A Web 2.0 vem inaugurar um cenário comunicativo sem precedentes onde todos podem ter acesso à sua utilização sem exigir grandes conhecimentos.

  1. 2.      The Machine is (Changing) Us

 

The Machine is (Changing) Us mostra-nos Michael Welsch fazendo uma comparação entre as perspectivas de Aldous Huxley e Orwel, é uma gravação da palestra de Michael Welsh sobre as novas mídias e as novas formas de interação que emergem no YouTube. MW afirma esta última como a mais próxima dos novos tempos. As pessoas acessam imensa informação, fornecida pelas mídias, enfadando-se até à morte. Ele apresenta a ideia que as mídias não são apenas instrumentos, mas sim um sistema muito complexo. Existem duas utilizações associados a essa ideia que são os modelos centrados em si próprios para auto realização, que provocam distanciamento das outras pessoas e a negação de horizontes de significância, que leva à fragmentação, que tem como resultado muitas opiniões de muitas pessoas, não criando um senso em comum.

Welsch faz o paralelismo entre o cidadão moderno confuso e desagregado da sua própria sociedade com o cidadão virtual. Onde, aparecem duas vertentes: por um lado, a autoafirmação em detrimento da participação cívica; e de outro, a fragmentação das crenças e dos interesses individuais.

3. Students Helping Students

 

Aqui Welsch mostra-nos o primeiro dia de aulas de uma universidade no Kansas, EUA. Onde reina um ambiente de coleguismo, compartilhamento, colaboração. Ele foca a colaboração e a importância de se valorizar os aspectos sociais.

4. A Vision off  Students Today

Este vídeo aponta para o fato da sala de aula estar presa a um modelo de escola, segundo o qual os alunos ainda aprendem de forma tradicional e sem grande significado para a sua vida diária, transmite-nos a sensação do vazio do ensino – aprendizagem, de uma transposição didática sem relevância. A utilização do computador durante as aulas tem outras finalidades que não as relacionadas com aprendizagens adequadas aos objetivos e conteúdos educacionais. Para isso se altere, torna-se necessário que os alunos aprendam a utilizar a tecnologia não somente para entretenimento ou para se socializarem, mas para criar algo novo, de valor para o mundo, já que todos podem ser produtores. A preparação para a vida requer uma educação que prepare os indivíduos para a sociedade da informação, que tem por base novas formas de agir, novas formas de relacionamento, novas formas de partilhar e participar.
É importante perceber ainda que, sendo utilizadores das novas tecnologias, os estudantes procuram dar novos significados à informação que encontram e constroem no cibermundo. Portanto, este mundo virtual é também o seu espaço de aprendizagem. Segundo Welsch, os estabelecimentos de ensino têm não só de acolher esses novos significados, como também lhes dar a relevância que só a educação sabe fazer.·.

Estes quatro vídeos revelam como os jovens dividem seu tempo entre o ensino formal e os meios de comunicação e o quanto, estes últimos, interagem com o dia-a-dia deles de forma natural e indispensável Por fim, procura marcar o papel central que os estudantes têm na formação dos novos saberes, enquanto agentes da sociedade em rede. Isto será uma forma de integrar as consequências do impacto da Internet na educação.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: